Psicologia e religião

Posted by on segunda-feira, novembro 24, 2008, 1:43
Esta notícia foi postada na categoria Artigos científicos e possui 35 Comentários até agora.
clique para ampliar!

clique para ampliar!

 O papel da religião na vida psíquica dos indivíduos.

A palavra religião vem do latim religio, derivado de religare, “atar”, “ligar”, podendo ser interpretada como o laço que une o homem à divindade.
Na maioria das sociedades, o papel da religião é explicar os conteúdos existenciais do ser humano, tentando obter respostas às perguntas que não possuem fundamento, como: de onde viemos, o que estamos fazendo aqui e para aonde vamos depois da morte.
Psicanaliticamente falando, a religião é uma neurose obsessiva da humanidade, tal como a neurose obsessiva da criança, que surge a partir do complexo de Édipo (conceito fundamental da psicanálise), caracterizado por sentimentos ambivalentes de amor e hostilidade existentes no relacionamento entre pai e filho.
Freud afirma que, a necessidade que civilizações possuem em controlar os instintos e impulsos dos seus indivíduos estabelecendo uma ordem moral, foi utilizada para difundir as religiões, pois aparentemente as leis divinas eram e continuam sendo muito mais sólidas e poderosas do que as leis humanas. Deste modo, passa-se a obedecer aos preceitos da sociedade devido o temor do castigo pela ordem divina.
Sempre existiram muitos autores e pensadores que demonstraram suas visões sobre religiões, mas o estudo científico das religiões iniciou-se no século XIX.

Analisando pelo lado do estudo científico, os argumentos apresentados por Freud possuem um teor crítico com relação à origem, desenvolvimento e manutenção das idéias religiosas, mas sempre apresentados de maneira objetiva e direta, enquanto Jung estuda a religião de maneira enigmática com certo toque de romantismo, admitindo a existência de um Deus interno, não materializado, que não significava a existência de um criador autônomo como a grande maioria das religiões alegam.

No aspecto filosófico, Osho, filósofo indiano que sempre se dedicou a questionar os dogmas políticos, sociais e religiosos da sociedade, adepto da meditação zen, afirmava que existe uma religiosidade sem necessariamente precisar existir a religião e o conceito de Deus, podendo haver espiritualidade apenas por uma filosofia moral, um estado de consciência livre, que não é condicionada pela mente, ou seja, não se acredita no que as crenças forçam a acreditar, mas sim o que sua consciência deseja crer.

clique para ampliar!

clique para ampliar!

Observando a pintura de Michelangelo na abóbada da capela Sistina, a figura denominada como ‘A criação de Adão’ impressiona pelo fato de demonstrar a onipotência divina manifestada na sua infinita grandeza que concebeu a criação do primeiro homem, dando sentido à construção do universo. A pintura, que pode ser nomeada como símbolo da ligação do Homem com o Divino, expressa o momento em que Deus, após ter criado a luz, a terra e tudo que nela existe, concedeu a vida a um ser dotado de inteligência e autoridade sobre todas as coisas existentes no mundo feito à sua imagem e semelhança.

O tema proporciona milhares de interpretações por ser um campo vasto de conhecimento, mas aqui completo o raciocínio da tríade das instituições sociais: a ciência, a filosofia e a arte, que são representações do universo e constituídas por neuroses.
Conforme apontado por Freud, um caso de histeria pode ser o retrato de uma obra de arte, ou uma neurose obsessiva pode ser a representação de uma religião e até um delírio paranóico poderia ser a caricatura de um sistema filosófico. Mas, neste caso, apenas um caso de neurose – a religião – representado nas três formas de instituições sociais.
No último ano de faculdade, dediquei-me a este estudo que gerou a compreensão da existência e desenvolvimento das idéias religiosas e sua conexão com a vida psíquica dos indivíduos, estudados a partir dos dois principais textos sociais de Freud: Totem e Tabu e O Futuro de Uma Ilusão.
Com base no que foi estudado, pude concluir que a psicanálise não pode atribuir a uma única fonte a origem de algo tão complicado como a religião.
Ficou claro que a humanidade sempre se sentiu desprotegida frente às forças sobrenaturais, tornando este desamparo tolerável a partir de criações de deuses, e posteriormente um Deus com poderes sobre-humanos capaz de minimizar todo este sofrimento.
Mas, os fenômenos religiosos possuem uma propriedade psicanalítica que manifesta o desenvolvimento de neuroses em seus adeptos, chegando a transformá-la na própria neurose.
Uma das problemáticas estudadas foi o fato das religiões, após tanta evolução cultural, tecnológica e científica, ainda exercerem um papel onipotente e essencial na vida psíquica dos indivíduos.
Os crentes, na definição literal da palavra – aqueles que crêem, parecem se unir a uma religião por vínculos afetivos, de maneira que nunca iriam permitir que sua fé fosse desviada ou banida. Ainda, existem pessoas que não são crentes, mas obedecem aos preceitos da civilização por se sentirem intimidados pelas ameaças da religião e se vêem obrigados a segui-los por fazer parte de sua realidade.

Você pode deixar um comentário, ou trackback do seu site.

35 Comentários para “Psicologia e religião”

  1. Cristian
    2009.03.08 13:33

    Ola! Gostei muito do assunto que foi tratado neste artigo… Sou estudante de psicologia e acredito que a religião já causou muitos males em nossa sociedade… Espero que estas igrejas denominadas igrejas de Deus se esvaziem e deixem as pessoas viverem suas vidas com mais autonomia…
    ABS!

  2. 2009.03.08 17:43

    Olá Cristian, que bom que tenha gostado do artigo.
    Como afirmo, o tema proporciona milhares de interpretações por ser um campo vasto de conhecimento. Mas a intenção no artigo não foi criticar negativamente, mas levantar pontos de discussões para entendermos porquê a sociedade precisa das intituições religiosas. Analisando os estudos de Freud é possível perceber que a religião pode sim ser considerada uma neurose obsessiva, mas uma neurose necessária, pois ela estabelece a ordem moral das sociedades. Também acho que poderia existir mais autonomia dentro das religiões, mas este é o papel da nossa profissão: estudar, analisar e questionar as formas de condutas humanas, não com a intenção de mudá-las, mas com a intenção de entendê-las.
    Continue participando ativamente das discussões, pois só enriquece nossa área de atuação.
    Obrigada pela sua visita e comentário!

  3. YASMINE
    2009.06.01 03:51

    Não concordo, todos nos já nascemos com a necessidade de adorar um Deus,
    mais cada pessoa é criada de um jeito, e é ai que ela determina o que é e o que não é,
    sobre Deus a arqueologia já provou que muitas coisas escritas na biblia realmente aconteceu,
    e imagine um livre que foi escrito a milhares de anos preveu o aquecimento globou e tantas outras coisas que naquela epoca era impusivel acreditar que aconteceriam.
    Que os inspirou a escrever tal profecia se não alguén com poder para insporar?
    E se Ele é tão poderoso assim e nos fez, nada mais nos resta a não ser obedecer o que eles nos pede, e claro tanbém é presciso ter o temor,
    a sociedade e a religião nos levam ao padrão organizado e os que nos levam a descordar, são as tentações que concerteza não são divinas, e é essa voltante de ir contra o que se deve ser que nos levam a se questionar, mais por dentro você sabe que existe um Deus e por negalo sente um vazio, se não o senti a esplicação é outra.
    Não se deixe enganar.

    Yasmine, obrigada pelo comentário! É muito importante saber que temos leitores que discordam, pois as divergências de opiniões enriquecem o debate.

    Atenciosamente,
    Psicóloga | Online!

  4. 2010.07.10 09:33

    A impressao q eu tenho eh q Freud eh uma especie de deus dos psicologos, psiquiatras e afins. Serve pra explicar tudo. Francamente, parem de citar Freud e expressem suas proprias opinioes. Sera q a capacidade de voces esta tao longe assim da de Freud?

  5. 2010.07.29 00:50

    Nao creio que a religiao seja malefica para a humanidade excepto para as doutrinhas empiricas, conservadoras e comunistas, por ex;
    O homem precisa de encontrar-se , e encontrar dentro de si as maravilhas com as quais nasceu.
    O amor , a paz ,o conhecimento, a felicidade, a inteligencia e ate a eternidade do homem devems er encontradas numa procura sicnera dentro de si mesmo, e a religiao serve de grande ajuda.
    A meditaçao de Yoga é excelente e pode estar alem das religioes, mas cada pessoas esta no seu proprio caminho interior……

  6. Rosangela
    2010.07.31 16:32

    A psicologia dá enfase no individuo… nas conversas egoistas, começa com vc e termina com vc quando que o cristianismo o centro de tudo é Deus.
    Não foi o mundo que inventou Deus Ele que nos inventou.

  7. Carlos
    2010.09.17 00:13

    Estatísticas das várias religiões no mundo:
    - Cristianismo: 33%
    - Islão: 21%
    - Não religiosos: 16%
    - Hinduismo: 14%
    - Outras: 19%

    De facto, “Deus” representa 1/3 (um terço) da população mundial. Talvez não tanto, uma vez que, pelo menos na Europa, há muitos que são baptizados mas não seguem a religião.

    Há 2 factores que determinam a religião da pessoa:
    1- A religião dos pais
    2- A propensão dessa pessoa para se tornar religiosa

    Acho triste que haja tanta gente a acreditar na sua religião. Triste porque a maior parte dessas pessoas estarão enganadas, uma vez que as visões religiosas são muito distintas (especialmente no que é o bem e no que é o mal).

    Aí na América, no geral, as pessoas ainda são muito religiosas. Aqui na Europa, cada vez menos. E é essa a tendência que vai continuar a existir.

    Não, não há mais divórcios. Não, não há mais crime. Não, as pessoas não vivem pior sem a religião. De facto, os melhores países do mundo para se viver (Dinamarca e Suécia) são os menos religiosos de todos.

    Sei que é inconcebível para muitas pessoas viver sem a sua religião, sem as suas crenças. Mas se amam de facto as vossas crianças, criem-nas sem religião. Deixem-nas crescer, livres de ensinamentos religiosos. Mais tarde, elas poderão escolher. Não serão piores pessoas se não quiserem seguir uma religião, ou acreditar em “Deus”. Este é o caminho para um mundo melhor, sem discriminação, sem dogmas, apenas com o Universo para conhecer, estudar, explorar.

  8. raissa
    2010.09.26 14:10

    Ola.
    Eu sou cristã e quero ser psicologa. Mesmo que eu vá estudar todas essas teorias isso não me impede de discordar. Já ouvi alguém dizer que se eu fosse ser psicologa iria negar a Deus, pelo simples fato de falar de uma teoria.
    Alguem me perguntou:(Se chegar uma pessoa querendo se suicidar, vc vai falar de Deus ou vai falar de teoria).
    É obvio que vou falar daquilo que eu sei para poder ajudar a pessoa. Mas pq não falar que existe um Deus que também pode nos ajudar a superar essa situação.
    Não acredito que neguei a Cristo.
    A pessoa acredita em Deus se quiser.

  9. vinicius
    2010.10.19 09:29

    entendo que o fenômeno religioso de fato tem trazido um total mal estar à comunidade científica, quando estes por mais que olhem para seus microscópios e tubos de ensaio, não conseguem fazer um recorte e provar por a + b que Deus existe; ainda bem…pois se homens como o Freud, de fato provasse a não existência de Deus, eles mesmos se intitulariam como deuses buscando para si todo poder e toda glória em detrimento de outros.
    o que quero dizer é que tanto a psicanálise, como qualquer outro saber humano, corre o risco de ser tão partidário e dogmático como qualquer religião. não foi o que freud fez com Ferenczi, com Jung e sabe lá com tantos outros que não concordaram com a sua psicanálise? num mundo desencantado e tão tecnologicamente ativo, a religião parece uma nostálgica foto amarelada, mas que continua atual e enigmática (Jurandir Freire da Costa, citando Hélio Pellegrino). se tantos homens se debruçaram sobre o assunto em tantos séculos de produção de conhecimento, sem contudo dar um desfecho ao assunto, não sejam vcs (certa vertente da psicanálise) tão soberbos como o foi o próprio pai da psicanálise – deus Sigmund Freud – que baniu do éden psicanalitico, todos os infames pecadores que ousaram desafiar suas leis gerais.
    P.S. Se a ontogênese repete a filogênese, no caso da soberba freudiana essa tese merece toda atenção.

  10. Verdade
    2010.11.04 17:41

    Alguém sabe pq o cocô do cabrito é redondo? Não discuta o que não sabem. Psicologia não é ciência é filosofia metida a ciencia.

  11. Marcos
    2010.11.10 02:32

    Nosso passado, nossos ancestrais de alguma forma eram religiosos, dae eu pergunto, como seria o mundo hoje sem religião, sem que ela nunca tivesse existido, uma vez que mesmo quem não é religioso de alguma forma foi influênciado pelo resultado cultural, moral e de legislação que por sua vez reflete princípios religiosos.Se o mundo ja está ruim com a religião que obriga a seguir um padrão moral, seja por afetividade ou medo, como estaria a sociedade inclusive a que quer acabar com a religião hoje se não existisse esse poderoso freio em nosso meio? Afinal o que é o certo e o errado? Quem determina o certo e o errado? Se não há padrão moral então seriamos livres pra exercer as mais terríveis maldades contra tudo e todos sem nenhum peso de conciência.Isso é o que eu penso, porém acho que deveria ser feito um estudo da influência da religião desde a era primitiva em nossa vida atual.

    FLÁVIA se quiser conversar comigo pra saber algo mais sobre o cristianismo eu te ajudarei
    eu conheço bem como é e questões que não sei se tú conhece, por exemplo,quais as sensações físicas e mentais que os cristãos tem durante suas adorações em cultos, meu msn é o e-mail informado no envio.

    Esperarei a resposta!

  12. Igor
    2010.11.15 11:55

    Bom…
    Não concordo
    pra mim Jesus cristo é o psicólogo dos psicólogos porque quem vai resolver os seus problemas e mudar a sua situação é Jesus Cristo!
    E não a bíblia está bem clara e explicativa siga a palavra ou o Mundo… Jesus Deixou o livre hábito para nos escolher “Se quiser me Seguir Tome sua Cruz e me siga” Nos momentos de Tristeza quem vai preencher seu vazio é Deus… e mas ninguém porque não há nada dinheiro neste mundo e felicidade que compra o amor de Deus! O amor de Deus é Luz Vida e fonte de Conversão dos pecadores!
    Faça a experiência você também se aproxima de Deus você nunca, mas será o mesmo!
    Meu nome é Igor Gabriel da Silva sou Psicólogo e atuo em áreas da religião duvidas este é meu e-mail: igor-psicologo@hotmail.com Que a paz de Jesus e o amor de Maria esteja no coração de cada Leitor Um abraço…

  13. Fabíola Garcia
    2011.01.06 19:22

    Olá. Eu sou evangélica, mas concordo que a religião traz malefícios a vida das pessoas, e principalmente na saúde mental delas.
    Creio que religião deve ser ensinada ao filho desde criança, mas deve ser imposta. Cada um tem o direito de escolher seu caminho, seja do bem, seja do mal. Mas, a verdade é uma só, e no fundo, todos sabem: que Jesus irá voltar para buscar os seus filhos, aqueles que obedeceram sua palavra, viveram em sacrifício, renunciando suas vontades, vaidades, desejos, etcs. Este pensamento não é apenas religioso, é uma verdade que um dia todos saberão, mais cedo ou mais tarde. Agora, impor religião traz brigas e destruição na família e na relação social, e a religião impede por exemplo um namoro, ou outras coisas. Mas isso vai da pessoa. E essa autonomia da própria vida que retrata o artigo, nós evangélicos nunca a teremos totalmente, porque para ser salvo, a um preço a ser pago.
    Seria bom que não existisse pecado, pois assim não precisaríamos sofrer neste mundo, com nossas renúncias. E Freud era apenas mais um ser humano, que vai a julgamento como todos nós iremos um dia.

  14. thalyta cabral
    2011.01.20 23:13

    Precisamos de Deus.Ele explica tudo o que sabemos e entendemos.É só olhar p vc e eu, não somos comuns, temos algo de inesplicável que só Deus pode traduzir.Sem ele somos incompletos, não é religião nem psicologia que vai preenxer o vazio que sentimos.Quando estamos Nele somos COMPLETOS.

  15. Janete G.Dao
    2011.01.27 13:15

    Olá!Tenho 50 anos, sou cristã/espiritualista ,curso psicologia e gostaria de contribuir com o debate. Penso que a fé é diferente de religião, pois a fé é crer e sentir algo além da matéria que constitui o ser humano,é olhar para o céu e enxergar a magnitude do universo e sentir que algo nos rege e não que somos únicos e onipotentes.É tomar consciência de que o ser humano não consegue compreender a si mesmo e não compreende o outro,sendo assim, como poderá compreender algo transcendente? Quanto à religião, esta seria para unir os homens, no entanto, cria conflitos , ambição e medo, para aqueles que se deixam levar pela ilusão. Deus não é um prédio chique, nem tão pouco um empresário, que no meu entendimento, é o que a maioria das igrejas pregam. Acredito que não estamos aqui por acaso, que estamos neste mundo para aprender e ensinar algo, caso contrário, para que estudar, trabalhar, sofrer por amor,litar pela vida, enfim….só um mazoquista sofreria por querer! Amo a psicologia e com certeza irei atuar de forma científica, séria e com fé, pois a teoria é muito importante,nos qualifica como profissionais, mas ela não dá conta de todos os campos.A psicologia não fala em religião, mas muitos psicólogos assumem sua fé , desde que atuem de acordo com a ética que a psicologia requer.

    Um abraço….

  16. wanderson luis
    2011.03.13 14:25

    O povo coloca seus comentários esquecendo que isto é uma abordagem histórico-cientifica e mistura isto com experiências pessoais generalizando a mesma.

    As teorias vem como abordagem para mostrar o mundo e descobri-lo, e estas abordagens não tem a intenção de ferir exatamente a particularidade de cada um, quem deseja e quer acreditar num Deus que o faça, quem não quer também sinta-se a vontade. Porém as teorias e estudos servem de análise, para entender em qual meio vivemos e entender este meio é importante para seguir outros passos.

    A mesma creença com a qual se referem em relação a Deus e a uma religião deveria ser respeitada em sua descrença com a ciência, deveria haver um equilíbrio pois a ciência traz algo palpável que é a comprovação daquilo que se estuda.

  17. Douglas Dias
    2011.04.19 20:42

    Bem, eu me chamo Douglas, tenho 17 anos, já enfrentei problemas na minha vida e acho que ainda carrego um pouco de trauma, porém estranhamente, tomei um gosto pela psicologia, me interessei, hoje sou bastante conhecedor e tenho “um certo medo”, do conhecimento em relação ao assunto… Por muitas tretas pessoais, sou evangélico também, acredito também no fato da religião trazer algum erro na saúde mental do índividuos, Gosto de ler a bíblia, acredito muito em Jesus Cristo, mais teve momentos que a dúvida bateu… Mais Fé é dom de Deus! E eu “antes” tinha medo de estudar a psicologia, pelo fato de ser muito lógica e tudo mais. kkkk’ Mais seilá, acho que não compensa viver com medo… “Não tenha medo de ir devagar… Só tenha medo de ficar parado”. Isso não tem nada aver com psicologia, mais no meu consentimento uma vida sem Deus e Sem amor… Você pode ser “o cara” em psicologia que você não vai ter é nada!

  18. 2011.05.09 20:13

      Interessante ver a religião por uma outra ótica, certa vez um senhor muito humilde , disse que precisaria dar 10% do seu salário pra sua igreja e pediu que eu fizesse a conta pra ele, questionei por que dar se ele ganhava tão pouco? O senhor me respondeu que a igreja havia tirada sua esposa do alcoolismo, pois quando ele chegava em sua comunidade muitas vezes sua esposa estava bêbada largada no pé do morro, deitada no chão e seus filhos viviam largados pelas ruas da comunidade sem comida feita, sem escola e sem mãe. Quando ela entrou pra essa igreja tudo mudou na vida deles. A mãe se desvencilhou da bebida e passou a se dedicar aos filhos. Não questionei mais nada, apesar de ter visto uma reportagem com crítica ferrenha sobre o desvio de verba da igreja que aquele senhor frequentava. Me calei, pois eles haviam achado um bom caminho pra aquela mãe seguir. Não estudava ainda psicologia mas acabei torcendo pra que dali por diante ela não se desvencilhasse do caminho que foi tão bom pra sua família. Hoje estudando psicologia  consegui entender a parte que me faltou naquele raciocínio, na época: E se a religião fosse extinta hoje do mundo todo, será que aquela mãe não retornaria pra bebida? Pode ser que sim, uma vez que ela atribui sua cura a religião essa religião não existindo mais a mãe fica abalada e recorre a bebida, pois seu psicologico, sua fragilidade seus temores, não foram tratados pela medicina/ciência a fim de ajudá-la a conviver com suas perdas e superá-las.Quando a pessoa está na igreja ao fazer uma prece, conversar com o líder da igreja pode acalmá-la, torná-la mais vigilante em seus atos pra não decepcionar ao divino. Agora sem a suposta religião que caminho restou? Sucumbir a bebida? Isso pode ter ficado latejando o tempo todo nela, pois não foi tratado como devia e num lapso emocional, afetivo ela retornar a hábito. É isso?

  19. Marcos
    2011.05.20 02:45

    É triste a posição que os crentes tomam para defender seus dogmas e sua fé, seria seu Deus tao fraco. Na verdade não tem como mudar uma idéia que na verdade não permite questionamentos e imprecionante a falta de argumentos lógicos. Mas vomos falar sobre Jeova, como ele pode mudar tanto, de um Deus tão maldoso e sedento de sangue no velho testamento, para um Deus de amor, após saciar-se com o sangue do proprio filho?? Tudo não passa de lendas e lendas. Se deus sabe o passado, presente e futuro, então sabia que ia criar o homem e alguns nao dariam certo, então porque os criou?? livre arbitrio// sim digamos que ele tenha dado livre arbitrio – mesmo assim ele sabe o futuro né??!! Então sabia que seu filho ia escolher o caminho do erro, mesmo assim o criou? Nem um ser inteligente criaria algo sabendo que daria errado. A não ser que seja um louco que goste de ver fome..guerra etc. Então se existir Deuses ele nao tem os poderes que muitos achão que tem.

  20. Marcos Lima
    2011.05.21 12:22

    Olá!,sou católico,filósofo e estudante de teologia.Acredito que o ser humano não é só sua corporeidadade ou sua psique. Existe a sua dimensão espiritual e transcendente que possibilita o ser humano uma relação pessoal com o sagrado. A religião existe desde os tempos mais remotos da humanidade e ninguém pode negar que uma verdadeira experiência religiosa leva a pessoa a viver mais em profundidade o seu mistério de ser pessoa humana,construindo relações inter passoais capazes de edificar um mais justo,fraterno e humano. A teologia não nega o apoio das ciências humanas,pelo contrário,busca a sua intervenção em casos necessários,salvos as questões concernentes a Fé e a Moral Cristãs.

  21. Elizangela
    2011.05.30 20:58

    Se estudássemos a fundo toda a história do como e porque dos surgimentos de instituições ditas “Cias de Cristo”, saberíamos distinguir melhor Religião de Espiritualidade. O homem é um ser que opta por escolhas, o que muitos podem aludir à questão do livre arbítrio citado também no livro “Sagrado”. Enfim, dialogismos devem surgir para aprimorar conhecimentos e trazer esclarecimentos e não para ressuscitar a “Santa Inquisição” e nem levantarmos bandeiras de caça às bruxas. Afinal o obscurantismo já está ultrapassado. Busquemos a tolerãncia, o domínio próprio e o respeito a opniões contrárias. Demonstrando que somos capazes de crescer na graça e no conhecimento, não só de Deus, mas também nas relações interpessoais.
    Com carinho, Elizangela

  22. Amarildo valim
    2011.06.03 14:07

    É lamentável este tipo de comentaria pois nos mostra o quanto ainda não crescemos na psicologia,a religião tem um fator importante na vida de todos quem quer ser relioso seja quem não quer fique fora a neurose esta na sociedade em geral,Freud foi um apenas o que começou a melhores psicólogos que afirmam que a religião faz bem .

  23. iarley
    2011.06.18 01:34

    Afirmo que a Verdade é uma terra sem caminho. O homem não pode atingi-la por intermédio de nenhuma organização, de nenhum credo (…) Tem de encontrá-la através do espelho do relacionamento, através da compreensão dos conteúdos da sua própria mente, através da observação. Jiddu Krishnamurti

  24. Daiana
    2011.07.18 14:33

    Esse assunto é um dos que mais chamam a atenção das pessoas. Mas com certeza assusta muita gente uma explicação como essa acima, isso porque não é entendida por completo. Acredito que é necessário se estudar mais a fundo a espiritualidade, religiosidade e seus religiosos. A religião pode ser extremamente benéfica, como também maléfica; é necessário que encontremos um ponto de equilíbrio.

  25. Aurélio Silva
    2011.08.10 11:13

    :idea:

    Religião, no sentido extenso e profundo do termo, é uma busca em rentar religar o elo que se perdeu, qaundo o homem, em algum lugar no tempo e algum espaço, deixou de desfrutar da relação direta que possuia com Deus.

    Essa busca, outrora autentica, se deteriou e se desviou na medida em que o homem começou a pensar em autonomia e independência e, as narrativa da expulsão do homem do paraíso e a confunsão de linguas por ocasião da tentativa de se construir a Torre de Babel e suas motivações são expressões mitológicas de realidade muito distantes da cultura pós-moderna.

    Os mitos nunca foram uma mentira, mas uma forma de explicar realidades de um tempo que hoje não compreendemos e temos as dificuldades próprias de acessá-las pela distancia entre nós e eles; contudo, os mitos,cada um no seu tempo e seu espaço, eram por assim dizer, também, as ciencias da época.

    Os mitos não se deterioraram, apenas se tornaram incomprensíveis para nós assim como a nossa ciência de hoje seria totalmente incompreensíveis para eles, do passado longicuo, ao contrário das religiões, elaborações mais recentes e mais sistematizadas, com fins de dominação e controle por parte das culturas dominantes.

    O movimento iluminista resgata o homem das armatilhas e prisões a que as religiões sistematizadas o submeteu, tendo o período chamado “Idade das Trevas” como o tempo áureo dos abusos cometidos pelas religiões, principalmente pelo cristianismo católico que manteve o mundo ocidental agrilhoado pela ignorancia dos que tem sede de poder e controle.

    O iluminismo, portanto, é um movimento que libertou o homem das religiões neuróticas e neurotizantes, hoje, em nossos dias de pós-modernidade, representadas pelas religiões neo-petencostais que produzem, como o catolicismos romano medievel e pós-apóstolico, alienação e neurose coletiva a partir dos individuos que se entregam às suas práticas, tendo as mesmas como verdades divinas.

    Mas, o que Deus tem a ver com essas realidades humanas, criadas e mantidas por neróticos ávidos por poder político-econômico? Quando Freude tece suas considerações, assim como outros doutores existêncialistas, filósofos, teólogos, sociólogos, etc, etc, do que, de fato, se está falando: do Deus real, verdadeiro,justo, autentico ou do deus criado pelos homens e seus ideais de grandeza e poder político-economico? Quando Marx falou de religião como ópio do povo, ele estava falando de que religião, da verdadeira, daquela que Deus produz para realigar o homem a si mesmo, ou da falsa religião, daquela produzida pelos homens com fins de dominação e enriquecimento ilícito?

    Qualquer ciencia ou cientista que não leve em conta Deus em favor do homem e o homem em favor de Deus, tão excelentemente expresso na pessoa de Jesus – O Cristo, tenderá a se tornar em um ser mediéval; pois, um neo-mediavalismo já se encontra bastante atuante, tantos nos circulos religiosos quanto cientifico, afinal seria correto afirmar que a ciencia também se transformou em religião neorótica-obsessiva em sua tentativa em negar Deus e os absolutos, pois no dia em que a ciência puder provar que pode existir filhos sem pais, então poderemos começar a pensar na possibilidade da existência sem Deus.

  26. Percy
    2011.08.19 01:14

    Albert Einstein dizia que “ciência sem religião é manca e religião sem ciência é cega”e se olharmos com um olhar racional,esta frase tem sentido pois a ciência de hoje esta começando a andar de passos com a religião e nesse casal vemos concordâncias.Mesmo que isso cutuque nossa despertar para um aprimoramento,temos que assumir certas descobertas de fundo religioso e científico que vem se confrontando com o materialismo(que já esta sendo ultrapassado).O materialismo nunca foi comprovado cientificamente e nem evidenciado,mas as descobertas de fundo espiritualista já foram são muitas vezes evidenciado,de forma que,até os mais incrédulos estão abrindo os olhos enquanto certos religiosos ainda falam em demônio e preferem pagar o dízimo.

  27. Rogério Gonçalves
    2011.08.22 04:27

    Sou Psicólogo e Cristão católico, penso que a religião é algo muito benéfico, muitos erros são cometidos pelos exageros de algumas partes. Como católicos temos ciência dos abusos que acontecem da parte dos homens, mas a Igreja Católica em si é uma instituição séria e tem contribuído ao longo da história em vários setores, tais como educação na abertura de universidades e escolas, serviços sociais aos necessitados asilos, creches, recuperação de drogados, saúde como pastoral da criança entre outras mais. Outras igrejas e religiões também têm suas contribuições positivas.
    O que devemos ter em mente é a busca do conhecimento e discernimento para não sermos movidos com marionetes por falsos líderes enganadores, que induzem multidões ao erro com promessas falsas e mirabolantes, fazendo uso do sentimento religioso inato das pessoas.
    Temos que ser cuidadosos na escuta das pessoas que estão a frente da religião e não aceitar persuasão de pessoas mal intencionadas e abusar dos inocentes com falácias e discursos destruidores. As pessoas em sua carência se prendem ao primeiro sinal de esperança e apelo emocional que lhe são oferecidos, nesse momento de fraqueza os aproveitadores as levam ao um caminho falso.
    Há cultos religiosos que são verdadeiras peças teatrais que levam milhares a acreditarem em falsas doutrinas deixando pessoas mais doentes e obsessivas.
    Em fim a religião usada de forma correta, numa formação humana concreta, é extremamente benéfica ao ser humano no geral, faz com que o indivíduo tenha maior capacidade de enfrentar as dificuldades do cotidiano e dar conta do sofrimento de frente e consequentemente adoecendo menos. Na atualidade de acordo com o pensamento sistêmico não se descarta nenhuma dimensão do ser humano, deve se levar em conta a pessoa num todo, inclusive o espiritual, independentemente do profissional que a atende.
    Penso que não devemos ser sectários e reducionistas, tudo se torna útil dependendo da forma de como é visto, deve-se levar em conta tudo que é necessário para entender a humanidade: a ciência, a tecnologia, a sociologia, a psicologia, a matemática e principalmente a dimensão espiritual (religião) que consegue dar explicações de muitas coisas que as demais linhas de pensamento são limitadas.
    CUIDADO AO CRITICAR A RELIGIÃO SERÁ SEMPRE NECESSÁRIA PARA A VIDA HUMANA!

  28. Givanildo
    2011.10.17 23:57

    Eu acredito sem duvida em um ser supremo que eu denomino Deus. Quando olho para a humanidade e toda criação nao ha duvida que um ser poderoso criou tudo isso que existe. Quando olhamos para toda tecnologia nós nos limitamos e deixamos de imaginarmos o grandioso poder de Deus. Coisas que estao alem da nossa compreensão. A psicologia tem sim o seu papel fundamental na sociedade quando leva o ser humano a compreender que ele e muito mais que um simples animal racional. E que por causa da sua racionalidade tem que se comportar diferente. O ser humano tem um papel alem desse mundo isso eu acredito.

  29. Diego Cardoso
    2011.10.18 19:50

    Sou evangélico, acredito em Jesus, a religião, assim como o nome diz, foi feita para religar o homem a Deus, entretanto hoje ela na verdade o oprime, criando uma imagem de um Deus opressor, no qual se diz que caso a pessoa não faça a vontade de Deus, vai para o inferno, tirando o livre arbítrio do ser humano.

    o Deus verdadeiro é aquele que ama, mesmo que você peque, Deus ama o pecador, mas não seu pecado, Deus não exige que sejamos perfeitos aos nossos olhos, mas apenas aos olhos dele, através do sangue de Jesus que nos purifica ao seus olhos, mesmo que não sejamos tão puros aos nossos.

    Existem sim muitas pessoas que exageram na sua crença e infelizmente levam outros a crerem da mesma forma, deformando suas vidas como seres humanos, entretanto existem pessoas que conseguem o equilibrio entre o espiritual e o carnal, vivendo uma vida sadia tanto com sigo mesmo quanto com Deus.

    O ser humano deve buscar o equilíbrio em sua vida, inclusive na área espiritual.

    Att

  30. Maycon, entrem no meu face
    2011.10.27 12:32

    Falar d algo tao complexo, realmente é uma grande responsabilidade…
    A religiao se torna uma das massas d manipulaçao mais utilizadas, inclusive pelo Estado…
    Mas há contradiçoes,
    …vivemos numa sociedade onde temos milhares d informaçoes circulando, mas nosso povo, infelizmente, é ‘relaxado’, e o poder centralizador usa deste artificio para controlar,
    o pior é q, sem melhores teses, eu acabo concordando com a manipulaçao religiosa,
    com os pes no chao, digo, somos um pais d terceiro mundo com um sistema d ensino lastimavel…
    Pense…dê liberdade a animais sedentos por capital e sem ideia d moral e imoral, agindo com um incosciente motivado pelo odio e sem um sistema q os freie…
    Freud
    qualquer sentimento q os motive é considerado pelas guerras…
    Nao me lembro bem a frase, mas é quase isso…
    Me da uma explicaçao d civilizaçao q nao seje ligada a manipulaçao…
    Somos manipulados a todo tempo
    …nas roupas, nas comidas, nas horas, nas artes…
    Vivemos num mundo neurótico, com complexas definiçoes
    onde a unica coisa q nos resta é a esperança,
    e depois d tanto nos questionar, finalizamos a vida e voltamos ao conformismo…
    Nao é pra aderir a minha ideia, alias, talvez, só seje mais uma neuroze…

  31. Tiago
    2011.12.28 06:50

    O artigo foi super bem intencionado, bem escrito, mas boa parte dos comentários me deixou assustado, principalmente por pessoas que querem entrar na academia com uma falsa noção do que é a Psicologia.. Enfim, é com muita tristeza que vejo que ainda há pessoas que acreditam que um ser invisível dito superior é a salvação para a humanidade, bem como a ausência de uma explicação para algo é, logo, atribuída a Deus ou afins. 

  32. Marcos William Côrtes
    2012.03.03 11:47

        Dói ver que a opinião de algumas pessoas são tão vagas quanto a religião.
        O fato é que religião nenhuma é boa, pois significa religar, o que vem a ser religar o homem a DEUS, porém, quem se desligou foi o homem de DEUS e não DEUS do homem. Partindo deste princípio, e sabendo-se que DEUS é um ser perfeito, qualquer mau desferido a si ou aos outros em nome da religião é nocivo e falso. 
        Os ensinamentos bíblicos não são regras para acorrentar os homens e sim para os livrá-los dos males em geral, pois constitui regras e normas ditadas por DEUS para uma melhor vivência em sociedade, e para com o próprio DEUS
        Dizer que as leis, regras e normas atribuídas pela bíblia é nociva, ceifando a liberdade do homem, é o mesmo que um fumante dizer que os estudos realizados pelos males causados pelo cigarro não condiz com a verdades, visto o prazer que lhe causa tal vicio. Vai morrer de câncer, querendo ou não

  33. CARLAO
    2012.04.23 06:07

    RELIGIAO É O OPIO DA SOCIEDADE !

  34. Fausto
    2012.07.28 15:45

    Achei muito interessante as colocações, mas sem o amor ao conhecimento a “Filosofia”, não existiria nenhum tipo de estudo, nem mesmo curiosidades para devaneios de quem pensa estudar sobre a mente humana e ousar dizer que quase tudo é neurose. Eu quero saber que fundamentos levou a psicologia a falar tanto sobre a mente humana sem ciência, equipamentos tecnológicos, fundamentações teológica etc.

  35. 2012.08.08 12:30

    bom artigo.

Deixar um comentário